Ensino Superior, Mercado de Trabalho

Mudança no perfil do profissional: o papel das universidades no mercado de trabalho

outubro 30, 2018
Tempo de leitura 3 min

Escolas treinam os universitários para processos seletivos cada vez mais exigentes

Dinâmicas de grupo, apresentações em inglês, maratonas de entrevistas. Os processos seletivos para ingresso em grandes empresas nacionais e multinacionais estão cada vez mais exigentes. Apesar de representar menos de 15% da população total, o número de brasileiros com Ensino Superior cresceu 62,6% entre 2006 e 2016, de acordo com o Inep. A concorrência mais acirrada faz com que as competências necessárias no mercado sejam cada vez mais complexas.  

Com um cenário de inovação veloz e de profissionais qualificados, o trabalho de formação das faculdades deve ir além da sala de aula e da base teórica. Muitas instituições já trabalham com estratégias focadas em aperfeiçoar as competências dos alunos para os processos seletivos mais concorridos. A inserção profissional é um dos indicadores que refletem a qualidade do Ensino Superior.

“Além de uma boa formação acadêmica, é importante que a faculdade se preocupe também com o desenvolvimento em seus alunos das chamadas soft skills. São exemplos de habilidades dessa natureza o saber trabalhar em equipe, o pensamento com criatividade, a resiliência e a empatia para se comunicar”, diz o professor Marcelo Dias, coordenador do núcleo preparatório da ESEG.

Núcleo de Preparação para o Mercado

Pensando em preparar os alunos para as seleções das empresas, a ESEG – Escola Superior de Engenharia e Gestão – criou o Simula ESEG. O evento traz profissionais de coaching para testar as habilidades que serão requisitadas dos estudantes nos processos seletivos. A Escola, que oferece os cursos de Administração, Engenharia de Produção e Engenharia da Computação, foca na qualificação como forma de garantir a empregabilidade dos universitários e egressos.

Durante os eventos, são propostos exercícios como dinâmicas de grupo, resolução de cases e orientações para criar apresentações profissionais de destaque. Com essas vivências, os alunos praticam as competências exigidas tanto para vagas de estágio e trainee, quanto para postos efetivos.

Outro evento na mesma vertente é a Maratona de Preparação para o GMAT (Graduate Management Admission Test). O exame é aplicado por diversas multinacionais como forma de selecionar os candidatos mais bem preparados e consiste em testes de língua inglesa, raciocínio lógico e memória. Nascido como uma prova de admissão para escolas de negócios norte-americanas, o GMAT vem sendo adotado por empresas multinacionais para selecionar candidatos.

“São atividades práticas que transcendem a sala de aula e tornam nossos alunos mais preparados para o mercado de trabalho”, garante o professor Dias, autor do livro “Sonhar, Estudar e Conquistar”, que traça estratégias para otimizar os estudos e alcançar o sucesso acadêmico e profissional.

Empregabilidade

A empregabilidade dos alunos e egressos deve ser um dos fatores levados em consideração na hora de escolher uma instituição de Ensino Superior. De maneira geral, dois a cada três alunos que concluem o Ensino Superior estão no mercado de trabalho formal, a maioria em sua área de atuação, segundo pesquisa do Semesp, organização das entidades representativas do Ensino Superior. Na ESEG, esse percentual chega a mais de 90% dos alunos no último semestre da graduação.

“A conquista de uma vaga na empresa dos sonhos não acontece da noite para o dia. Os profissionais de psicopedagogia e coaching auxiliam os alunos na melhoria do aprendizado e na vida profissional e os professores motivam o aluno a aprender mais e melhor. Os processos seletivos são etapas das conquistas”, explica o docente.

Quer saber mais sobre as iniciativas de empregabilidade da ESEG? Acesse nossa página. 

Receba conteúdo em primeira mão!


 

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário